Estudos bíblicos para pregadores e adoradores da palavra de Deus.



15 dicas de como preparar um sermão eficaz - passo a passo

A imagem mostra um homem de mãos fechadas orando.


Direto ao ponto:


Você precisará de 15 passos básicos para preparar um sermão eficaz e pregar a palavra de deus com autoridade e embasamento.


    1 - Comece fazendo uma oração;
    2 - Identifique as necessidades de seus ouvintes;
    3 - Escolha uma passagem bíblica;
    4 - Determine qual será o objetivo do sermão;
    5 - Determine um bom tema para o sermão;
    6 - Determine um título impactante;
    7 - Decomponha um bom texto;
    8 - Conheça profundamente o contexto bíblico;
    9 - Ache as subdivisões;
    10 - Pesquise nos comentários bíblicos;
    11 - Faça pesquisas em teologias sistemáticas, introduções, chaves bíblicas e dicionários bíblicos;
    12 - Acrescente seus comentários às subdivisões;
    13 - Acrescente as aplicações;
    14 - Faça uma introdução envolvente;
    15 - Conclusão.


Como Preparar uma Pregação eficaz?


os passos aqui expostos são dedicados aos pastores, estudantes da pregação e cristãos que compreendem a responsabilidade de pregar o evangelho e divulgar a palavra de Deus de forma eficaz.

Aqui estão alguns passos simples que irão ajudá-los a preparar um sermão claro e objetivo.


1 - Comece fazendo uma oração


    Peça ao Senhor que lhe instrua em todo o processo de preparação da mensagem, para que o sermão atenda às necessidades específicas das pessoas a fim de serem espiritualmente edificadas. Peça que Ele lhe dê a graça e poder para contribuir com a difusão do Reino de Deus.



"Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á. (Mateus 7:7,8)"








2 - Identifique as necessidades de seus ouvintes


    Não pregue para se sentir admirado como pregador, mas sim para satisfazer as necessidades das pessoas ao seu redor. Todos ouvirão, apreciarão e aplicarão a palavra de Deus pregada por você quando essa palavra fizer sentido e ser aplicável em suas vidas.


É muito importante que toda a mensagem bíblica pregada por você preencha alguma necessidade espiritual de quem te ouve. Cada grupo precisa de uma mensagem diferente, dependendo do momento e da circunstância. Se o conteúdo da sua mensagem não corresponde as essas necessidades é melhor procurar outro assunto. nunca pregue uma mensagem somente porque encontrou um versículo ou passagem na bíblia que lhe parece interessante para preparar um bom sermão.


É por isso que você precisa identificar os problemas que as pessoas têm, com as quais eles se defrontam em suas casas, em suas famílias, em sua fé, relação com Deus, etc. 


Sempre tente identificar essas necessidades nas pessoas a quem você se dirige, pregando a palavra de acordo com suas necessidades espirituais.


Uma maneira bem interessante de saber o que as pessoas estão precisando ouvir é conversando com elas. Fale muito com as pessoas, para entender bem suas necessidades e em seguida, dirija-se a Deus, pedindo uma mensagem para dar-lhes soluções para os problemas de acordo com a palavra de Deus.



A imagem mostra um pregador a frente de um grande público em oração




3 - Escolha uma passagem bíblica


    Depois de identificar as necessidades, é hora de escolher o texto base da pregação. Observe as passagens bíblicas que são mais coerentes com a situação dos seus ouvintes. Você precisa lhes dar uma resposta sólida e bíblica aos problemas por eles enfrentados. Isso deve ser feito em oração, leitura e meditação nas escrituras sagradas.


O texto escolhido será aquele que o espírito santo revelar para você ou aquele que tocar profundamente em seu coração, lhe edificando espiritualmente.


Evite textos de difícil interpretação, é melhor deixá-los para um dia de estudo bíblico onde terá mais tempo para dissecar cada uma de suas partes; para pregação, é melhor que seja um texto claro e objetivo


O texto escolhido deve ser completo em sentido. Pegue uma porção significativa, isto é, um texto que tem um entendimento completo. 



Por exemplo:


Se você for pregar sobre a visão de Isaías, em Isaías 6, não será bom que use somente os versículos 1 e 2. 


Use uma porção de texto maior para que se tenha um entendimento adequado e completo. No caso aqui, é valer-se do texto até o verso 8. Então nosso texto base seria Isaías 6. 1-8. Peço que o leia todo ele agora…

“No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e a cauda do seu manto enchia o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam.


percebeu que a porção de texto escolhida tem um começo, meio e fim?

Não tem um sentido completo agora? Note que é muito melhor usar a passagem completa.


4 - Determine qual será o objetivo do sermão


    Determine claramente aonde quer chegar com a mensagem. O que quer mudar no pensamento ou no comportamento dos ouvintes? Você não poderá chegar a lugar nenhum enquanto não tiver um propósito claro.

Descreva seu propósito em uma folha em branco, para que você possa entender sozinho o objetivo que espera para não se desviar dele, mas continuar perseguindo-o. Enquanto estiver preparando o sermão, volte ao início e veja se tudo está dentro do objetivo escolhido.

A imagem mostra uma flecha no alvo




5 - Determine um bom tema para o sermão


    O tema é o assunto que você vai esboçar e defender durante todo o sermão. O tema não precisa ser anunciado no início da pregação, normalmente ele é exposto sutilmente no desenrolar da pregação. Portanto, as vezes, é necessária uma boa introdução para a exposição do tema escolhido.



Exemplo: 

"Se Deus é bom, então por que permite homens justos passarem por provações e dificuldades?"


Apesar do tema e título serem coisas bem parecidas, ou iguais para muita gente, há uma pequena diferença:

O título é apenas uma referência sobre o assunto que será tratado. Ele é uma expressão mais curta e mais resumida que o tema. 

Geralmente é anunciado no início da pregação.

Exemplo: 


6 - Determine um título impactante


Isso te ajudará, como pregador, a permanecer no assunto, a pregar apenas sobre o assunto, e também ajudará os ouvintes a desejar ouvi-lo do início ao fim.

É muito importante criar um título impactante, compreendido por todos e que motive as pessoas a continuarem ouvindo a sua pregação.

Abaixo deixo algumas dicas de como deve ser um bom título:

  • Que seja relevante para o texto ou assunto tratado;
  • Mantenha o respeito e decoro cristão. Não deve ser bizarro ou jocoso;
  • Deve provocar o interesse ouvinte;
  • É importante que seja breve;
  • Pode ser uma pergunta, declaração ou exclamação, sempre geram bastante interesse no público.


7 - Decomponha um bom texto



Para preparar uma pregação deve-se, selecionar as principais ideias que aparecem. Tais ideias precisam ter relação com o tema que está sem desenvolvido, explicando e esclarecendo-o. Tais ideias serão o ponto principal do sermão.


perceba que naturalmente você encontrará as suas divisões lógicas. Veja que Isaías 6. 1-8 pode ser dividido assim:


1 – Precisamos ver o que Isaías viu (6.1-4)

2 – Precisamos sentir o que Isaías sentiu (6.5-7)

3 – Precisamos dizer o que Isaías disse (6.8)

Agora já temos o esqueleto do sermão, ou seja, seus pontos principais. Dele tiraremos os elementos necessários para desenvolver por completo a nossa pregação.



8 - Conheça profundamente o contexto bíblico


Veja o que o texto, quer passar para o leitor. Tente encontrar a intenção original do autor que, quando inspirado pelo Espírito Santo, escreveu o referido texto.


Continuemos com o texto de Isaías 6.1-8 para nossa análise.


vamos ver o que estava acontecendo quando o texto foi escrito, Para conhecer o contexto bíblico.




Isaías nasceu em relativa riqueza e posição. Ele era um membro da Corte Real, conselheiro e confidente do Rei. 
Assim, o encontro de Isaías com Deus ocorreu durante um momento de tragédia pessoal, um momento de perda. 
O homem que morreu não era apenas o seu empregador, mas também seu amigo. Uzias governou por mais de 52 anos. 
Durante esse tempo, Israel experimentou talvez o mais longo período de prosperidade em sua história. Agora, o rei estava morto. 
O que aconteceria a Israel? Haveria uma guerra civil? Depressão econômica? Quem iria ascender ao trono? Será que o próximo rei honrar a Deus e procurar ser um líder espiritual de Israel? 
No meio de toda essa confusão e incerteza, Isaías foi ao templo para adorar, e lá, ele encontrou-se face a face com Deus.




    Então, podemos determinar uma ideia chave para o texto, contextualizada em seu fundamento. certamente, poderá dar uma sugestão de tema. 


Dica: Leia várias vezes o texto e em diversas versões e busque comentários bíblicos, antes de dividir e extrair a ideia principal, para obter mais informações do contexto.


9 - Ache as subdivisões


No momento de preparar uma pregação, vale dizer que as subdivisões surgem do próprio texto. Devem ser realizadas pelo direcionamento do espírito. 


Não há sermão sem oração!



Veja as possibilidades:


1 – Precisamos ver o que Isaías viu (6.1-4)

    a – Ele viu a posição de Deus (v.1)
           b – Ele viu os atributos de Deus (v. 2,3)
      c – Ele viu a presença de Deus (v.4)


2 – Precisamos sentir o que Isaías sentiu (6.5-7)

                a – Ele sentiu a sua própria condição (v.5)
                   b – Ele sentiu a sua própria purificação (6,7)


3 – Precisamos dizer o que Isaías disse (6.8)

               a – Ele disse: “estou disponível” (posso ir)
        b – Ele disse: “me envia” (eu quero ir)



10 - Pesquise nos comentários bíblicos


Comentários bíblicos são essenciais e poderosas ferramentas na elaboração de bons sermões.

Ao consultar um comentário bíblico o pregador tem fácil acesso a várias informações em um só lugar como: contexto histórico, ligações om outras passagens, etc.


podemos encontrar uma infinidade de comentários em livrarias evangélicas. Também é possível baixar alguns gratuitamente na internet.


Os comentários ajudam muito na hora de preparar uma boa pregação. Claro que um comentário não é a palavra inspirada por Deus. A inspiração divina para que os autores escrevessem o texto terminou a dois mil anos atrás.

São apenas informações extra-bíblicas ou interpretações de teólogos a respeito do texto sagrado. Devemos fazer como os irmãos de Bereia, comparar com o que está expresso na Bíblia. 

Sempre dê preferência aos comentários que são produzidos por uma equipe de comentaristas, assim não se limita ao entendimento de uma só pessoa sobre um determinado assunto.


Como disse o sábio: 


“Na multidão de conselhos há sabedoria” 
(Pv 11:14b)    



11 - Faça pesquisas em teologias sistemáticas, introduções, chaves bíblicas e dicionários bíblicos



Teologias sistemáticas: 



As teologias sistemáticas são ferramentas que ajudam a con seguir informações sobre temas amplos na bíblia ( pecado, salvação, perdão, santificação, justificação, eleição, condenação, vida eterna, etc. ) levando em consideração todos os textos bíblicos e a lógica entre eles.


uma consulta a teologia sistemática chega a ser quase indispensável na hora de desenvolver um sermão para explicar uma doutrina, por exemplo.


introduções: 


As introduções são matérias que ajudam a explicar sobre o contexto histórico em que se encontra algum livro ou passagem.


Elas trazem informações sobre as possíveis datas e autores dos livros assim como o provável objetivo. É um importante material para aqueles que vão criar uma pregação expositiva.


Chaves bíblicas:

As chaves bíblicas são materiais vão te ajudar a ver todas as passagens bíblicas que falam sobre um determinado tema.


Dicionários bíblicos:


Os dicionários bíblicos ajudam a compreender palavras e verbetes difíceis que normalmente deixam os ouvintes e até o pregador confuso.



Exemplo:


A palavra Gazofilácio, que significa o local onde se recolhiam as ofertas em um templo, no caso da passagem da viúva pobre, de uma sinagoga.


12 - Acrescente seus comentários às subdivisões


    Chegou a hora de você colocar em prática toda a informação que conseguiu através das suas pesquisas. Vamos usar aquelas informações dos comentários bíblicos, teologias sistemáticos, introduções, chaves bíblicas e dicionários bíblicos.


Continuemos com o nosso exemplo de Isaías 6.1-8:


1 – Precisamos ver o que Isaías viu (6.1-4)

        a – Ele viu a posição de Deus (v.1) – Isaías viu Deus em sua soberania. O rei terreno poderia ter morrido, mas o Rei dos reis ainda reinava. Ele viu o Senhor em toda a Sua glória. 

        b – Ele viu os atributos de Deus (v. 2,3) – Os seres angélicos no templo proclamaram a natureza santa três vezes do Deus do Céu. Mesmo aquelas criaturas sem pecado tiveram o cuidado de honrar a santidade e pureza do Senhor. 

Repare que eles cobriam os rostos com as suas asas. Eles também proclamaram a glória do Senhor! Isaías finalmente entendeu que Uzias poderia ter sido um bom rei, mas o Senhor era um Deus santo e Ele e somente Ele merecia toda a glória!

        c – Ele viu a presença de Deus (v.4) – A “casa se ​​encheu de fumaça “. Este era um símbolo da presença de Deus. Deus era a figura central no Templo! Isaías foi lembrado de que a presença de Deus ainda não o havia abandonado.

2 – Precisamos sentir o que Isaías sentiu (6.5-7)

        a – Ele sentiu a sua própria condição (v.5) – Quando Isaías viu o Senhor, ele imediatamente percebeu que havia problemas dentro do seu próprio coração. 

Isaías provavelmente pensava que estava tudo bem em sua vida até ver a santidade de Deus e ter ciência das suas próprias deficiências. Isaías não disse “Ai do meu vizinho!“. Ele clamou “Ai de mim”! como p
reparar uma pregação
        b – Ele sentiu a sua própria purificação (6,7) – O texto diz que o anjo do Senhor tocou nos lábios de Isaías com uma brasa viva tirada do altar e purificou-o.

3 – Precisamos dizer o que Isaías disse (6.8)

        a – Ele disse: “estou disponível” (posso ir) – Ao dizer “eis me aqui”, Isaías estava querendo dizer: “meu tempo de descanso acabou, agora estou pronto para o serviço”. 

        b – Ele disse: “me envia” (eu quero ir) – Isaías não só disse que estava disponível, mas também expressou a sua intensa vontade de ser enviado por Deus. Ele disse: estou disponível e quero ir!

13 - Acrescente as aplicações



Quais lições podemos tirar de tudo que já vimos sobre o texto até aqui? O que podemos acrescentar aos sub-tópicos que possa ter aplicação direta em nossa vida espiritual? 


É isso que faremos agora!



Continuemos com o nosso exemplo de Isaías 6.1-8:




1 – Precisamos ver o que Isaías viu (6.1-4)

        a – Ele viu a posição de Deus (v.1) – Isaías viu Deus em sua soberania. O rei terreno poderia ter morrido, mas o Rei dos reis ainda reinava. Ele viu o Senhor em toda a Sua glória. 

    Aplicação) Deus está no controle de tudo. O que parece ser uma tragédia para nós pode ser a melhor coisa que poderia ter acontecido em nossas vidas. Precisamos lembrar apenas de QUEM está no controle!

        b – Ele viu os atributos de Deus (v. 2,3) – Os seres angélicos no templo proclamaram a natureza santa três vezes do Deus do Céu. Mesmo aquelas criaturas sem pecado tiveram o cuidado de honrar a santidade e pureza do Senhor. Repare que eles cobriam os rostos com as suas asas. 

Eles também proclamaram a glória do Senhor! Isaías finalmente entendeu que Uzias poderia ter sido um bom rei, mas o Senhor era um Deus santo e Ele e somente Ele merecia toda a glória!

    Aplicação) Precisamos lembrar que a característica primeira de Deus é a Sua santidade! O nosso dever diante do Senhor é para honrar Sua natureza santa, vivendo uma vida santa diante d’Ele.

        c – Ele viu a presença de Deus (v.4) – A “casa se ​​encheu de fumaça “. Este era um símbolo da presença de Deus. Deus era a figura central no Templo! Isaías foi lembrado de que a presença de Deus ainda não o havia abandonado.

    Aplicação) Mesmo em tempos difíceis, Deus não nos deixa sozinhos. “Não te deixarei, nem te desampararei.” (Heb. 13: 5b). com
o p
reparar uma pregação
2 – Precisamos sentir o que Isaías sentiu (6.5-7)

        a – Ele sentiu a sua própria condição (v.5) – Quando Isaías viu o Senhor, ele imediatamente percebeu que havia problemas dentro do seu próprio coração. 
Isaías pensava que estava tudo bem em sua vida até ver a santidade de Deus e ter ciência das suas próprias deficiências. Isaías não disse “Ai do meu vizinho!“. Ele clamou “Ai de mim”!

    Aplicação) Quanto mais perto de Deus, mais entendo quem Ele é, e quão pecador eu sou.


        b – Ele sentiu a sua própria purificação (6,7) – O texto diz que o anjo do Senhor tocou nos lábios de Isaías com uma brasa viva tirada do altar e purificou-o.

    Aplicação) Deus não só nos mostra onde está os nossos pecados, como também nos mostra o meio para a nossa purificação.
parar uma pregação
3 – Precisamos dizer o que Isaías disse (6.8)

        a – Ele disse: “estou disponível” (posso ir) – Ao dizer “eis me aqui”, Isaías estava querendo dizer: “meu tempo de descanso acabou, agora estou pronto para o serviço”. 

    Aplicação) Quando o nosso coração é limpo pelo Senhor, as escamas caem de nossos olhos e entendemos a real necessidade de se entregar no altar de Deus em sacrifício vivo e santo (Rm 12: 1-2).

        b – Ele disse: “me envia” (eu quero ir) – Isaías não só disse que estava disponível, mas também expressou a sua intensa vontade de ser enviado por Deus. 

    Aplicação) Quando a vontade de Deus passa a ser a nosso vontade também, Ele nos abençoa  e nos usa poderosamente.


14 - Faça uma introdução envolvente


A introdução do sermão é essencial para todo pregador, pois nela que se ganha ou perde, a atenção das pessoas, sem volta.

Então, para preparar uma eficaz, você precisa cuidar bem da introdução. Você tem a oportunidade de preparar a mente dos ouvinte e ganhar dele a atenção e simpatia necessária.


Se analisarmos as pregações de charles Spurgeon, constataremos que esse orador extraordinário quase sempre agia dessa maneira. Conquistava os fiéis logo no início, depois transmitia as informações importantes, e mantinha a concentração dos ouvintes até o final da pregação com interpretações, exemplos e histórias interessantes.


Por isso, depois de conquistar a atenção do público logo no início da mensagem, passe imediatamente todo o conteúdo que julgar relevante, pois nesse momento o público estará mais atento.


Estratégias para uma introdução envolvente


  • Faça uma pergunta interessante;
  • Dê declaração empolgante aos seus ouvintes;
  • Apresente as Estatísticas Ex: (três em cada sete casamentos terminam em divórcio);
  • Use humor (Aproveite esse momento para usar a ironia da piada e aplicar uma lição que se relacione ao sermão)
  • Cite um versículo da bíblia que chame a atenção (Sl 73:17);
  • Conte um história interessante.

O que você pode utilizar para fazer a introdução

  • os costumes da época; 
  • o contexto;
  • uma ilustração relacionada ao assunto;
  • um acontecimento pessoal;
  • Acontecimentos noticiados na mídia etc. 


Faremos usando o contexto de Isaías 6. 1-8:

Isaías nasceu em relativa riqueza e posição. Ele era um membro da Corte Real, conselheiro e confidente do Rei. 

Assim, o encontro de Isaías com Deus ocorreu durante um momento de tragédia pessoal, um momento de perda. O homem que morreu não era apenas o seu empregador, mas também seu amigo. Uzias governou por mais de 52 anos. Durante esse tempo, Israel experimentou talvez o mais longo período de prosperidade em sua história. Mas, agora, o rei estava morto. 

O que aconteceria a Israel? Haveria uma guerra civil? Depressão econômica? Quem iria ascender ao trono? Será que o próximo rei honrar a Deus e procurar ser um líder espiritual de Israel? 

No meio de toda essa confusão e incerteza, Isaías foi ao templo para adorar, e lá, ele encontrou-se face a face com Deus. 

Eu aposto que alguns de vocês estão no meio da confusão e incerteza.

Em tempos de más notícias e experiências dolorosas, como seria bom se você pudesse experimentar Deus, face a face, como Isaías fez.


15 - Conclusão.

É muito comum os pregadores errarem neste ponto. Isso acontece muito, por ser a parte final da mensagem. Muitas vezes se perde no tempo e deixa essa parte um pouco precária ou a descarta, terminando a mensagem com o último tópico do esboço.

Toque em pontos principais do sermão, e não introduza novas idéias.

Em poucas palavras a lição tirada de tudo o que foi pregado. É um resumo mesmo. Deve ser forte, vigoroso e impactante, pois é o climax do sermão. 


Deve convocar a prática do que foi pregado.


Pode ser feito das seguintes formas:




Recapitulação:


Passe rapidamente pelos pontos principais da mensagem.


Ilustração


Você poderá valer-se de uma ilustração para elevar as ideias abordadas a um climax. Basta somente ter cuidado de colocar uma ilustração que tenha tudo a ver com a ideia do sermão.



Aplicação da mensagem:

Afirme o quanto é importante viver o que foi pregado e que de nada serve ser somente ouvinte da palavra, mas que ser praticantes.




IMPORTANTE!

Antes de sair desta página, me responda se você gostaria de saber…

✔ Como entender a Bíblia para pregar;

✔ Como extrair lições do texto;

✔ Como começar, desenvolver e terminar o sermão;

✔ Como usar ilustrações;

✔ Como pregar com mais liberdade e desenvoltura;

✔ Como memorizar o sermão e não ficar preso a ele;

✔ Como controlar o nervosismo.


Então, para pessoas especiais como você, que busca realizar aquilo que sente no coração, existe um material incrível, onde é ensinado passo a passo tudo sobre elaboração de sermões impactantes e como pregar com mais liberdade e desenvoltura.

Para acessá-lobasta clicar no botão abaixo e se preparar para conhecer algo que vai transformar para sempre as suas pregações.



Postar um comentário
0 Comentários