Estudos bíblicos para pregadores e adoradores da palavra de Deus.



Porque pregar a palavra de Deus?

A imagem mostra o cristo redentor sendo atingido por um grande raio vindo dos céus. Foto escura tirada a noite.



Para os pastores, pregar e ensinar a Palavra de Deus é uma maneira de nos desnudar a todos; ela nos expõe e coloca nossos dons em exibição pública. Você não consegue fazer um sermão com aparência polida, habilidades com pessoas calorosas ou credenciais do seminário sozinho. No momento da verdade, sua habilidade - ou falta dela - de ensinar e pregar a Palavra de Deus revela muito sobre seu chamado.


É assim que deve ser porque aquele que é chamado para o ministério é chamado para um ministério da Palavra. Deus o separa para ensinar e pregar Sua Palavra. Essa estipulação esclarecedora tanto nos desafia quanto nos tranquiliza. Aqueles a quem Deus realmente chamou; ele realmente tem o dom para a tarefa. Todo pastor deve ter o dom de ensinar a Palavra; e todo pastor qualificado é.


“Capaz de ensinar”

Em I Timóteo 3: 1-7, a habilidade de ensinar é a marca distintiva entre o presbítero e o diácono. Espera-se que ambos sejam piedosos, mas apenas o ofício de presbítero requer a habilidade de ensinar. Existem milhares de maneiras pelas quais um ministro pode servir à igreja, mas ele tem uma responsabilidade indispensável e inegociável - pregar e ensinar a Palavra de Deus.


Visto que o dever principal do pastor é pregar e ensinar a palavra de Deus, aquele que ocuparia o cargo deve estar à altura da tarefa. Literalmente, vidas estão em jogo. A saúde da igreja sobe ou desce com o púlpito.


A pregação inclui o ensino, mas o ensino pode ou não incluir a pregação. Ambos transmitem a verdade bíblica, mas o último inclui a proclamação pública - anunciar a verdade das Escrituras para a congregação reunida.


Pregar e ensinar não são categorias distintas, mas sim locais ou canais distintos. Como um sábio professor certa vez me disse: “A pregação nunca deve ser nada menos do que ensinar a Bíblia, mas deve sempre ser mais do que um estudo da Bíblia”.


É interessante que a “habilidade de ensinar” seja a única qualificação relacionada ao dom ou habilidade do pastor. Estou impressionado com o que Deus deixou de fora desta lista. Além de um caráter excelente, o aspirante a pastor não precisa ser um líder talentoso, um administrador competente, um gênio criativo ou possuir uma personalidade magnética - tudo isso é útil no ministério. Existe um dom, e apenas um dom, o pastor deve possuir. Ele deve ser capaz de ensinar.


Por que pregar?

 A pregação é o meio divinamente ordenado por Deus de comunicar sua Palavra, de nutrir sua igreja e de redimir um povo para si mesmo. Outras atividades ministeriais podem complementar a pregação, mas nenhuma atividade ministerial deve substituir a pregação.


“Não procuro nenhum outro meio de converter os homens além da simples pregação do evangelho e de abrir os ouvidos dos homens para ouvi-lo. No momento em que a igreja de Deus desprezar o púlpito, Deus a desprezará. Foi por meio do ministério que o Senhor sempre teve o prazer de reavivar e abençoar suas igrejas. ”[


Deus só teve um filho e o fez pregador. A Escritura nos diz: “Jesus veio pregando”, e então ele enviou seus discípulos para pregar. Dos profetas da antiguidade ao Pentecostes, até o fim dos tempos, a pregação é o meio designado por Deus para transmitir sua mensagem.


Pregue a Palavra, um Comando Simples

Cada pregador pode prontamente se identificar com o encargo obrigatório do apóstolo Paulo a Timóteo, “Pregar a Palavra”. Essa acusação está situada no final da carta final de Paulo a seu filho na fé, Timóteo, e resume a expectativa bíblica mais ampla de que os ministros cumprem fielmente suas responsabilidades de pregar e ensinar fielmente a Palavra.


Enquanto Paulo está escrevendo II Timóteo, ele sabe que sua morte está próxima. Cristãos estão sendo perseguidos. Falsos profetas estão atormentando a igreja. Muitos que nomearam Cristo como Salvador caíram. O próprio Timóteo está vacilando na fé e questionando seu chamado. Paulo está escrevendo sua última carta, como as palavras de um moribundo, para uma igreja em dificuldades e um filho desanimado.


Nesse encargo salutar, ele disse a Timóteo: “Pregue a Palavra”. Essa exortação ocorre - explícita e implicitamente - em todas as Escrituras, mas em nenhum lugar mais conspicuamente do que aqui. E aparece com ímpeto adicional, por causa de seu contexto neste livro e nas vidas de Paulo, Timóteo e da igreja. Há um grau de seriedade estreita, de deliberação concentrada de Paulo a Timóteo, para nós.


Em 2 Timóteo 3, Paulo documenta os efeitos catastróficos da pecaminosidade do homem e apresenta o antídoto ministerial - pregar a Palavra de Deus - que é inspirado, inerrante, autorizado e suficiente. Somos chamados a “pregar a Palavra” porque os dias são maus e as Escrituras são poderosas. Para os pregadores, II Timóteo 4: 2 tem um certo romance - uma atração magnética, nos chamando de volta repetidamente para nossa responsabilidade central.


O chamado para pregar - à luz de tantos problemas na sociedade e na igreja - parece simplista, mas essas são as instruções de Deus. Pregar significa “anunciar, levantar a voz, proclamar”. É falar com ousadia, mesmo em voz alta, sem medo, e tornar a verdade conhecida.


Novamente, há simplicidade no encargo de Paulo, “Pregue a Palavra”. Há uma bela simplicidade, uma clareza inconfundível nesta instrução. Não há necessidade de esclarecer qual palavra ou de quem é a palavra. Em vez disso, somos chamados para pregar a Palavra - a Palavra de Deus. Na verdade, a premissa de pregar a Palavra é construída sobre todo o cânon das Escrituras e ruge ao longo deste livro.


Se você não está convencido das Escrituras - sua veracidade, autoridade, relevância e poder - então você não se sentirá inclinado a pregar a Palavra. Você pode olhar para ele para pontos de sermão porque é isso que os pregadores evangélicos devem fazer, mas você nunca vai deixar a Palavra ser o ponto e os pontos de seu sermão.


Ingredientes essenciais de pregação e ensino

Embora um raciocínio rápido, uma voz estrondosa e uma forte apresentação pessoal sejam elementos úteis, os ingredientes-chave da pregação fiel devem ser predefinidos. A pregação fiel tem dois ingredientes essenciais, e aquele que é chamado a pregar deve cultivar os dois.


Esses dois componentes são o estudo da Palavra e a proclamação da Palavra. Enfatizar um ou outro sem enfatizar o outro é erro. Aqui devemos manter o equilíbrio intencional.


Alguns gostam mais naturalmente do processo de preparação de sermões. Eles gostam de se aprofundar no texto das Escrituras, interpretá-lo corretamente, construir um esboço exegético e costurar um sermão. Isso é bom e ninguém deve entrar no ministério sem a intenção de se aprofundar no texto.


Outros gostam mais naturalmente de apresentações. O próprio ato de pregar os anima. Eles gostam de entregar mercadorias ao povo de Deus. Grandes pregadores se destacam em ambos, e você deve cultivar ambas as forças em seu próprio ministério.


Conclusão

Martyn Lloyd-Jones notoriamente observou que a pregação é "o mais alto, o maior e o mais glorioso chamado para o qual alguém pode ser chamado."  Na verdade, é um chamado muito elevado e glorioso para qualquer pessoa pregue qualquer coisa por qualquer motivo, de qualquer maneira.


Como qualquer outra habilidade, ensinar e pregar a Palavra de Deus é uma habilidade adquirida. Dotado pelo Espírito de Deus, sim. Mas a prática leva à perfeição, e pode levar algum tempo para esclarecer seus dons para pregar. Não espere soar como um pregador veterano em sua primeira vez no púlpito. Na verdade, você pode nunca se tornar um pregador realizado.


Os seminários podem conceder um diploma e as igrejas podem contratar um pastor, mas só Deus pode fazer um pregador. A pregação deve ser feita por um homem, chamado por Deus, que é compelido a anunciar a Bíblia com plena convicção e interpretação fiel. A Bíblia detalha muitas expectativas de caráter do pastor, mas há apenas um dom que ele deve ter - ele deve ser capaz de pregar e ensinar a Palavra de Deus.



IMPORTANTE!


Antes de sair desta página, me responda se você gostaria de saber…

Como entender a Bíblia para pregar;

Como extrair lições do texto;

Como começar, desenvolver e terminar o sermão;

Como usar ilustrações;

Como pregar com mais liberdade e desenvoltura;

Como memorizar o sermão e não ficar preso a ele;

Como controlar o nervosismo.


Então, para pessoas especiais como você, que busca realizar aquilo que sente no coração, existe um material incrível, onde é ensinado passo a passo tudo sobre elaboração de sermões impactantes e como pregar com mais liberdade e desenvoltura.

Para acessá-lobasta clicar no botão abaixo e se preparar para conhecer algo que vai transformar para sempre as suas pregações.




Postar um comentário
0 Comentários